quadrinhos

“Scott Pilgrim” mistura cotidiano jovem e videogame em HQ que virou filme

por Martha Lopes - 11 de agosto de 2010
Scott Pilgrim é um cara de vinte e poucos anos como muitos outros. Vai à faculdade, trabalha, toca baixo em uma banda meio ruinzinha e se envolve com Ramona, a garota dos seus sonhos. Ficar com essa menina, no entanto, não é tarefa fácil: Scott precisa enfrentar os ex-namorados dela, que formam uma liga de ex-namorados do mal.

LEIA MAIS: "Alice no País das Maravilhas" volta em mangá de tons picantes
 
Essa é a trama de “Scott Pilgrim Contra o Mundo" (Ed. Quadrinhos na Cia, 368 páginas), história em quadrinhos de Bryan Lee O’Malley lançada no Brasil em abril. Cheio de sutilezas engraçadas – como o fato de Scott dividir uma minúscula casa e até a cama com um amigo gay --, a trama incorpora referências contemporâneas e do universo nerd.
 
O que diferencia a história, entretanto, são as referências ao universo dos videogames, dos mangás e animês. A trama ganha em dinamismo à medida que os ex-namorados de Ramona aparecem para derrotar o jovem. Scott consegue enfrentá-los com facilidade, usando de golpes e táticas que misturam as técnicas dos heróis dos jogos e filmes ao seu dia a dia. De brinde, fatura umas moedinhas e bônus quando vence seus oponentes.
 
Esse primeiro volume – a história foi publicada originalmente em seis volumes, mas sairá em três por aqui --  ganhou versão para o cinema com o nerd fofo Michael Cera (de "Juno”) no papel de Scott. Deve estrear nos cinemas brasileiros em novembro e promete levar a mesma leveza pós-adolescência dos quadrinhos para as telas.
 
Assista ao trailer:


Gostou? Então siga o Colherada no Twitter!
Últimos comentários

Nenhum comentário para exibir, seja o primeiro a escrever um!

Faça o seu comentário

Top 5 as mais clicadas

Vídeo

Publicidade
Colherada no Twitter
Ressaltamos que nenhum estabelecimento foi incluido neste guia por ter feito publicidade em qualquer publicação nossa e que nenhum tipo de pagamento influenciou as resenhas. As opiniôes publicadas neste site são dos escritores do Colherada Cultural e são totalmente independentes