hey! e ô, e ô!

"Rainha da Sucata", um dos maiores sucessos dos anos 90, está de volta à TV no Canal Viva

Trama de Silvio de Abreu consagrou personagens como Dona Armênia e Laurinha Figueroa

por Redação Colherada - 21 de janeiro de 2013
Regina Duarte na pele de Maria do Carmo: apesar de ficar rica, sofre preconceito por ter origem pobre e não é aceita na alta sociedade
A enorme escada da mansão de Laurinha Figueroa, no bairro do Jardim Europa, em São Paulo, é um dos maiores exemplos da opulência de sua família. O clã quatrocentão paulistano se torna o centro da trama quando a emergente Maria do Carmo, uma selfmade-woman que ficou rica vendendo material de ferro-velho, se casa com Edu, o filho playboy da socialite.

A trama central de "Rainha da Sucata" está na memória de muita gente até hoje, apesar do folhetim escrito por Sílvio de Abreu ter ido ao ar na Rede Globo entre abril e outubro de 1990. Ele está de volta à TV no Viva, a partir de 21 de janeiro, no horário das 0h15, substituindo "Que Rei Sou Eu" em mais um acerto do canal pago para atrair os noveleiros carentes de "Avenida Brasil".

+ "O Canto da Sereia", com Isis Valverde: microssérie se dá bem ao unir "quem matou?" ao Carnaval da Bahia

A "imortalidade" de "Rainha da Sucata" se explica. A protagonista era Regina Duarte, capaz de, na época, dar tanta força a sua Maria do Carmo quanto deu à mítica Viúva Porcina, de "Roque Santeiro", ou à íntegra Raquel, de "Vale Tudo", exibida dois anos antes. Como Laurinha Figueroa, a arrogante vilã, estava Glória Menezes, em um de seus melhores papéis na TV até hoje, enquanto Tony Ramos interpretava um mocinho com atitudes mais do que questionáveis.

Esnobe, Laurinha Figueroa era uma megera daquelas. E ainda foi centro de um dos mistérios da novela

NÚCLEO RICO X NÚCLEO POBRE

A novela de Sílvio de Abreu é um ótimo exemplo de como se dava a ascensão social e a luta de classes no Brasil na época. Essa forma de fazer folhetim, que só mudou (um pouco) recentemente, quando personagens emergentes ou mesmo habitantes de favelas se tornaram o centro da ação. Não faltava, em meio aos mistérios de "quem matou?" (marca registrada do autor) e do romance sofrido dos protagonistas, uma crítica social e um panorama dos bairros paulistanos mais tradicionais, formados por gente simples e imigrantes, como Dona Armênia.

PERSONAGENS INESQUECÍVEIS

Dona Armênia (Aracy Balabanian) cercada por
A trama também tinha comédia garantida no núcleo de Dona Armênia (Aracy Balabanian), a viúva que cuidava de "suas filhinhos" - Geraldo (Marcello Novaes), Gerson (Gerson Brenner) e Gino (Jandir Ferrari), e com a participação de Marisa Orth como a sedutora Nicinha. O casal formado pela bailarina Adriana (Cláudia Raia) e pelo professor gago Caio (Antonio Fagundes) é outro que ficou imortalizado na carreira dos dois atores e matava os telespectadores de rir com suas trapalhadas para ficar junto.

De acordo com informações divulgadas pelo próprio canal, as próximas novelas cotadas para serem exibidas novamente são "Dancin' Days" (1978), "A Viagem" (1994) e a primeira versão de "Selva de Pedra" (1972). Quem sabe o retorno de "Rainha da Sucata" não inspira a atual trama global das 9, "Salve Jorge", a sair da previsibilidade, dos personagens sem carisma e da história insossa. Ronc! Melhor tirar um cochilo nessa hora para assistir às reviravoltas que começam à meia-noite.

Relembre a abertura, que tem trilha sonora de Sidney Magal:






Gostou? Siga o Colherada no Twitter e no Pinterest!

Curta a página do Colherada no Facebook!


Últimos comentários

Nenhum comentário para exibir, seja o primeiro a escrever um!

Faça o seu comentário

Top 5 as mais clicadas

Vídeo

Publicidade
Colherada no Twitter
Ressaltamos que nenhum estabelecimento foi incluido neste guia por ter feito publicidade em qualquer publicação nossa e que nenhum tipo de pagamento influenciou as resenhas. As opiniôes publicadas neste site são dos escritores do Colherada Cultural e são totalmente independentes